ABRH SC | Regional Jaraguá do Sul - Associação Brasileira de Recursos Humanos

Redes Sociais




Acesso Restrito

RELAÇÕES TÓXICAS NO TRABALHO SÃO PREJUDICIAIS PARA A SAÚDE E PARA AS EMPRESAS

Data: 12/04/2019

 

 

Assédio moral, sexual, danos morais e até doenças do trabalho são alguns dos casos tratados no âmbito da justiça pelo excesso dos gestores tóxicos, que podem perseguir e tornar o ambiente insuportável, segundo a juíza do Trabalho do TRT da 12ª Região, Adriana Custódio Xavier de Camargo.

 

 

A juíza deu início ao debate destacando que a violência no trabalho existe, pode ser cometida por gestores e é mais comum que se imagina. “Em casos extremos leva ao suicídio”, destacou ela, ressaltando a importância de falar mais sobre o assunto. “É preciso primeiro reconhecer e refletir para depois combater e prevenir. Só podemos prevenir algo que reconhecemos que existe. As empresas, ao detectar esses comportamentos inadequados, precisam criar canais de denúncia”, falou. “Depois da reforma trabalhista não só os empresários ou empregadores respondem, mas a própria CLT prevê a responsabilização direta desses gestores”, explicou Adriana.

 

O médico do Trabalho, Gilberto de Moraes Campos Roth, falou sobre a avaliação do paciente, os sintomas e como essa relação afeta o trabalho. “Geralmente eles chegam no consultório com desânimo, registro de baixo rendimento, quadro depressivo e outros. Hoje em dia não temos dados específicos dos danos, mas muitos envolvem afastamento, faltas no trabalho, que é o absenteísmo, e geram perdas para o trabalhador e para a empresa”, alertou.

 

A psicóloga, Simone K. Cetolin Wackerhagen, destacou que as relações tóxicas podem provocar danos físicos e mentais. “Precisamos identificar de onde estão surgindo as relações tóxicas. Muitas vezes as pessoas vivem achando que é normal e são prejudicadas física e mentalmente. Cada um deve se observar, porque problemas no trabalho todo mundo tem, mas nos domingos a pessoa já começa a ter taquicardia, dores de cabeça, não quer mais levantar para ir trabalhar, desenvolve transtornos mentais como ansiedade e depressão, então está na hora de procurar um especialista e estudar uma maneira de melhorar essa relação e ter uma qualidade de vida melhor”, destacou.

 

A mediadora foi a psicóloga Angela Bachmann, especialista em Psicologia Organizacional e do Trabalho. O evento contou com cerca de 70 pessoas de diversas empresas da região de Jaraguá do Sul e foi promovido por causa do Abril Verde, criado para implantar a cultura de prevenção de acidentes de trabalho e doenças ocupacionais.

 

 

 

ABRH-Jaraguá do Sul

 

A ABRH-Jaraguá do Sul (Associação Brasileira de Recursos Humanos – Regional Jaraguá do Sul) tem o propósito de desenvolver pessoas e empresas de Jaraguá do Sul e região a partir da troca de experiências e conhecimentos entre profissionais de recursos humanos e áreas afins.

 

 

PRÓXIMO EVENTO

 

Neste mês já estão agendadas as visitas técnicas às empresas Resultados Digitais e Softplan Planejamento e Sistemas, em Florianópolis, promovidas pela ABRH-Jaraguá do Sul.

 empgilbertoadrianasimoneeangelaMD.jpg

Abertura do evento (em pé) médico Gilberto de Moraes Campos Roth, juíza Adriana Custódio Xavier de Camargo, psicóloga Simone K. Cetolin Wackerhagen e mediadora psicóloga Angela Bachmann (D).

 

 

 

 juzaadrianainiciaodebateMD.jpg

Juíza Adriana Custódio Xavier de Camargo foi quem deu início ao debate.

 

 

 cercade70pessoasdediversasempresasdaregioparticiparamdoeventoMD.jpg

Cerca de 70 pessoas de diversas empresas da região participaram doevento.

 

 

Crédito fotos: Ana Cenatti/Compreendo Comunicação

 

Assessoria de Imprensa ABRH-Jaraguá do Sul:

Compreendo Comunicação

Ana Cenatti – [email protected]

Carolina Veiga – [email protected]

(47) 3376-4727

 

Imprimir!  

Todos os direitos reservados © 2019 - 2020 | ABRH - Regional Jaraguá do Sul - (47) 3370-1862 | by softd

Apoio: Compreendo Comunicação